...

Depois de concluídos os estudos secun­dários em Espanha, cursou Filosofia, entre 1934-1938, no então Instituto de Filosofia de Braga, tendo obtido a licenciatura na Faculdade de Filosofia de Oiã, Burgos (Espanha), com 18 valores.

De 1941 a 1945, cursou Teologia na Faculdade Pontifícia de Granada na qual também se licenciou.

Foi colocado como docente na  Faculdade  de  Filosofia de Braga em 1944, tendo aí aprofundado os estudos nas áreas  de Ética Económica, Social e Política. Licenciou-se em Ciências Económicas na Universidade Comercial de Deusto, Bilbau (Espanha), tendo realizado aí estudos entre 1943-1947.


Logo a seguir, cursou Ciências Políticas e Sociais na Universidade Católica de Lovaina, entre 1949-1950.

  

A partir de Outubro de 1949,  exerceu a função de Professor Ordinário de Filosofia Moral, Economia Política e História de Filosofia, na Faculdade de Filosofia em Braga.


Em 9 de Novembro de 1951, doutorou-se solenemente em Filosofia em Braga, durante as comemorações do IV Centenário do nascimento do filósofo bracarense Francisco Sanches, promovidas pela Câmara Municipal de Braga e a Faculdade de Filosofia, que se desenrolou segundo todo o rigor das praxes académicas. Foi o primeiro doutoramento conferido pela Faculdade de Filosofia e também o primeiro a realizar-se na cidade de Braga. Este acto teve lugar na Igreja do colégio de S. Paulo, não só pela amplidão e majestade do espaço, mas ainda pelas relações do antigo Colégio dos Jesuítas (hoje Seminário de Santiago) com a juventude de Francisco Sanches, que, segundo todas as probabilidades, aí fez os seus primeiros estudos.

O júri das provas de doutoramento foi integrado por professores das Universidades de Coimbra, Lisboa, Porto, Toulouse, Bordéus e o prelado diocesano D. António Bento Martins Júnior, arcebispo primaz, que foi o padrinho do doutorando que recebeu a mais alta classificação de aprovado «magna cum laude». A tese apresentada e defendida intitula-se “A Idade do Social: ensaio ético-social sobre a sociedade contemporânea”. (Ver mais informação aqui). Em Novembro de 1953, foi-lhe atribuído, pelo Secretariado Nacional da Informação, o prémio literário «Anselmo de Andrade» - Ensaio de Doutrina Política ou Económica.


Conheça (aqui) algumas Teses de Mestrado sob orientação do professor Lúcio Craveiro da Silva.


Adaptado de: Biobliografia sobre a Universidade (2004);

                In Memoriam do Jesuíta Lúcio Craveiro da Silva, Fundador do Instituto Superior Económico e Social de Évora (ISESE) e da Revista Economia e Sociologia;

                 Grande Enciclopédia portuguesa e Brasileira vol.28


©2014  Biblioteca Lúcio Craveiro  da Silva .Todos os Direitos Reservados. Proibida a reprodução do todo ou em  parte deste Website.
Ficha Técnica Vida Académica